terça-feira, 12 de agosto de 2008

NINA-----ANJOS PARA ANIMAIS

Oi, gente!

Vocês têm hábito de ir em circo? Se tem, já repararam em que condições este circo trabalha? A gente sabe que essa vida nômade de quem é circense não dá muito conforto e manter a tradição é muito difícil, pois essa expressão artística concorre com um mundo de multimídias e espetáculos cada vez mais incrementados.

Aqui em São Paulo onde moramos eu e a minha família, o circo que tiver animais em seu elenco, está proibido de trabalhar aqui na cidade. Justamente porque São Paulo é uma cidade muito cheia de estímulos que acabam prejudicando o bem estar animal. O histórico de maus-tratos também incentivou que essa portaria proibindo circos com animais fosse efetivamente cumprida.

Acontece que no resto do Brasil é diferente, embora muitas cidades já estão pensando em adotar essa lei. Foi o que aconteceu em Brasília com o movimento que surgiu partir de denúncias de maus-tratos feitos para o Ibama. Animais que não tinham a menor condição de viver bem alimentados ou sem estresse (tão comuns a animais domésticos quando viajam, imagina só para os selvagens), podem agora em um recanto re-estabelecer sua saúde.

Claro que para o circo é prejuízo, mas se eles não têm condições de cuidar dos animais, concordam que é crueldade mantê-los ali trabalhando? Depois, acontecem aquelas tragédias como a do leão que comeu o menino, ou daquela cena cômica (e que atrapalhou o trânsito de Sampa) quando um elefante fugiu para comer arbustos e interrompeu uma avenida......

Os circos têm que se atualizarem e buscarem novas alternativas. Uma delas é rever se vale a pena ter animais no elenco: com jaulas decentes, com comida que seja suficiente e veterinários/biólogos cuidando sempre. Na dúvida se dá ou não: melhor não ter animais.

E na opinião da minha mãe, a melhor forma de mostrar isso tudo o que escrevi aqui para os donos de circo, é simplesmente não indo em circos que tenham animais trabalhando.

Pense a respeito. E use seu poder de "pagante de ingresso" para fazer a diferença.

Aqui, a reportagem.

Lambidinhas com esperança de liberdade.

3 comentários:

Dalila disse...

Eu jamais vou a circos que tenham animais.
Primeiramente que animal não é um ser sem consciência, que serve exclusivamente aos desejos humanos. Não, eles tem inteligência (ok, não briguem, sei que eles não estudam o genoma ou constróem arranha-céus), têm consciência de suas próprias necessidades e conforto. Assim como sentem afeição, raiva, etc. E aí, utilizá-los como marionetes, sendo muitas vezes submetidos a tortura para aprender os truques, assim como deixá-los com fome, em jaulas apertadas, sem tratamento veterinário, sem direito à liberdade é uma crueldade sem limites.
Portanto, sou totalmente a favor do boicote aos circos, às touradas, aos rodeios etc....

Anônimo disse...

Pois é gente, esse tema é bastante complicado e controverso. Eu, como pombo livre que sou, tenho uma opinião um pouco mais profunda sobre tudo isso. Primeira coisa que é importante é saber o que fazer com esses animais (que é impossível recolocá-los na natureza por uma porção de motivos que explicarei outro dia), o governo tem que criar meios para que esses animais sejam bem tratados, sejam no circo ou em recintos.
Outra parte da discussão que cabe e vale dizer, não é para brigar com ninguém e nem para revoltar cachorro mimado ou gato gordo por aí, mas todos dizem que os animais devem ser livres, a Nina mesmo acabou seu post com "esperança de liberdade". E os animais domésticos? Qual é a diferença? Só porque e seu e você cuida bem você acha que é o suficiente? levar para passear quando o dono quer é liberdade? Do mesmo modo que esses animais de circo "eram" silvestres (a maioria já nasceu em cativeiro) os cães e gatos foram um dia.
Não estou protegendo circo, rodeios e outros eventos que usam animais, mas também não posso deixar bem claro aqui, que pelo que vejo, há sim locais que esses animais são muito bem tratados e fazem números com muito prazer e alegria (ou a Nina vai me dizer que ela dá a pata contrariada pra mãe queridinha dela?)

Ronronados a todos, nunca se esqueçam que toda história tem pelo menos dois lados e devemos sempre avaliar muito bem os dois!

Pombo João

Dalila disse...

Na verdade, Pombo João, vc tem razão e os animais domésticos (mesmo q muito bem cuidados) também não estão em uma condição ideal se formos analisar do ponto de vista deles... Afinal, ficam presos o dia todo, comem o que damos e passeam quando os colocamos em coleiras e saímos com eles.
O que fazer então??
Acho que infelizmente não há muito a fazer. Não é possível soltar os animais selvagens, pois seriam mortos como os animais que estão soltos o são (por suas peles que viram tapetes, casacos, por suas garras, para viraram troféus etc...).
Não há volta.
O mundo é nosso, isso quer dizer, os humanos são tantos hoje e tem planeta tão adaptado às suas necessidades que os animais tornaram-se apenas algo que consta na paisagem e sobre o qual não temos tanto respeito assim.
Isso é bastante triste e é algo que em geral me pego pensando... fora a crueldade aberta que acontece, existe também aqueles atos que todos praticamos (e não temos como deixar de praticar) que deterioram o planeta (contruções, poluição, desmatamento etc.), acabam aos poucos com o habitat de espécies (cadê as florestas virgens, as savanas intocadas etc?), como o plástico que descartamos nos oceanos e com isso matamos animais que os comem pensando ser algo comestível e por aí vai...
Tem volta?? não, não tem.
Tem o que o João falou: tentar encontrar uma solução para que eles sejam tratados com respeito...

BEM VINDOS!!!

Esse blog é um diário de animais e pessoas! Alguns animais falarão do seu dia a dia, outros de experiências boas ou ruins.Ou seja, sinta como os animais vislumbram esse mundo louco e maravilhoso em que vivemos.
Aproveitem, divirtam-se e fiquem à vontade para comentários, sugestões e críticas.

Clique no nosso título e veja a postagem atual!